25 February 2011

Defesa de dissertação de Mestrado em Marketing e Gestão Estratégica

Defesa de dissertação de Mestrado em Marketing e Gestão Estratégica dia

2 de Março, quarta-feira, 11h30 Escola de Economia e Gestão da

Universidade do Minho


--
Territórios, Marcas e Competitividade: 

A região Minho e a sua projecção internacional

Resumo

Territórios, como os países, as regiões e as cidades, competem com outros espaços geográficos pela atracção de investimento, de mercados, de negócios, de residentes, de turistas, de talentos e empreendedores, assim como, pela organização de eventos culturais e desportivos.
A crescente internacionalização e globalização têm levado ao aumento da competição nos mercados e os territórios enfrentam uma competitividade com outros destinos geográficos. Estes deverão permitir identificar as oportunidades e as forças dessa unidade territorial que permitam exponenciar as suas vantagens competitivas para um acesso eficaz a mercados, recursos e pessoas.
A definição de marcas territoriais, quando desenvolvidas de forma consistente e articulada, fruto de um trabalho de cooperação em rede entre os agentes do território devem permitir promover o tecido produtivo, incrementar o fluxo turístico, de pessoas e de capitais. Investidores, cidadãos de diferentes nacionalidades, estudantes e investigadores fazem parte deste fluxo.
O conceito de marcas territoriais surge nos últimos anos como uma poderosa ferramenta à disposição de académicos e profissionais que dedicam a sua investigação à gestão do território. Contribuir para a definição de uma marca para uma unidade geográfica, quando estamos perante uma realidade multidimensional onde agentes económicos e sociais actuam numa comunidade com valores culturais e etnográficos não é uma tarefa simples.
Sendo objectivo deste trabalho de investigação perceber como os agentes de uma região vêem o território e como se devem articular para gerar maior competitividade e notoriedade num contexto de internacionalização, realizamos um diagnóstico multidimensional sobre a região Minho, aplicando sete entrevistas semi-estruturadas a agentes económicos e sociais. Foi usado um guião de entrevista, elaborado tendo presente os determinantes de competitividade de Michael Porter, dos factores de atracção de investimento e factores críticos de sucesso que reflectem os seis vectores do hexágono da composição de marcas de nações de Simon Anholt. Foram consideradas as devidas diferenças geográficas, entre nações e regiões, bem como a inclusão de questões com enfoque na síntese da realidade através da elaboração da análise SWOT. Os resultados inferidos indicam que a região Minho deve procurar atrair investimento estrangeiro, tendo presente a disponibilidade de infra-estruturas óptimas e unidades de ensino e investigação de excelência, devendo ser promovida como uma região geradora de conhecimento.

Palavras-Chave: Marketing, Marcas, Redes, Territórios, Competitividade, região Minho.